Chefia no CTCE Varginha quer impor clima de terror no setor de trabalho

Assédio moral é crime

Os trabalhadores do primeiro turno do CTCE/VARGINHA no sul de Minas estão se sentindo ameaçados pelo chefe Sandro Fernandes, com supervisão do gerente de turno Vilhena, que querem impor a política de punição para quem trabalha especialmente no setor de encomendas alegando um “alto” índice de mal encaminhamento.

Há duas semanas atrás, em reunião semanal após leitura do Primeira Hora, os trabalhadores foram surpreendidos com a notícia de que seriam obrigados a colocar identificação nas encomendas e que seria utilizado o número do cartão de ponto para tal identificação. O intuito da chefia é claramente impor um clima de terror aos trabalhadores do setor. Não satisfeita a chefia criou uma tabela punitiva, que sequer sabemos se consta nos manuais da empresa, dizendo que o trabalhador que errar até 6 (seis) objetos no mês será zerado no GCR no item que fala sobre qualidade na triagem.

Isso é um absurdo e um abuso já que a unidade tem um índice de 25 (vinte e cinco) objetos mal encaminhados/dia e trata o equivalente a 10 mil ( dez mil) objetos/dia entre Sedex, encomenda e registrados, o que dá um índice muito baixo próximo a zero.

Só para citar um exemplo, o trabalhador tem que triar cerca de 6 (seis) objetos por minuto e se permanecer neste setor por 5 horas/dia em 22 dias uteis no mês terá triado uma média de quase 30 mil objetos/mês e se errar 6 objetos de 30 mil terá seu GCR zerado segundo a política aplicada pela chefia local?

Outra questão é a de que o trabalhador ao colocar a identificação estará criando prova contra si mesmo e assumindo o risco de ter de pagar indenização caso o objeto perca o prazo. Ao ser questionado sobre o índice percentual de mal encaminhados ser mínimo a chefia não quis saber e manteve a tabela punitiva.

Diante desta situação a diretoria do SINTECT- MG denuncia o abuso da chefia no sul de Minas e vai tomar providências diante da situação de exploração que está sendo imposta neste setor para dar um basta aos desmandos da direção da ECT que oprime os trabalhadores diariamente.

Chamamos todos os trabalhadores a não aceitar nenhum tipo de assédio das chefias e denunciar para o Sindicato para que possamos tomar as providências cabíveis. Vamos responder de forma firme aos chefes assediadores e mostrar que não vamos deforma nenhuma voltar a época da escravidão.

Lutar contra o assédio e contra a exploração no setor de trabalho!

Anúncios

3 comentários sobre “Chefia no CTCE Varginha quer impor clima de terror no setor de trabalho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s