ECT quer reabrir o balcão de negócios do movimento sindical

Saiba quem são os traidores que querem vender nosso plano de saúde em troca de vantagens negociadas nas contas dos trabalhadores com a direção dos Correios

reuniao ECT

Na tentativa de destruir o convênio médico dos trabalhadores a ECT conta com o apoio de certos sindicalistas que acostumados a traições estão organizando o golpe de misericórdia contra a categoria dos Correios.

Terminada a Campanha Salarial sem conseguir realizar seu principal objetivo diante da resistência firme da categoria liderara pela FENTEC, a empresa montou o que está chamando de Mesa Nacional de Negociação Permanente.

Reaberto o balcão de negócios

É preciso falar claramente: quem está participando desta farsa é para se vender para a empresa. Não é a toa que o articulador dessa traição permanente é o ex-sindicalista Manoel Cantoara, das Alagoas.

Este pelego que traiu a categoria aceitando o saldamento do Postalis e assinando o PCCS 2008 da escravidão para receber salário de R$ 19.000 e residência fixa em Brasília voltou a reunir sua corja para organizar nova e ainda maior traição: a privatização do convênio médico da categoria.

A MNNP como chama a empresa é o novo balcão de negócios para os sindicalistas se venderem para a empresa em troca de cargo; assim como fez Cantoara.

É de olho nesse balcão de negócios que sindicalistas vendilhões chegaram ao extremo de não apenas assinarem o documento ao lado dos divisionistas do PCdoB, do Rio de Janeiro e São Paulo, legalizando a Mesa que tem como único objetivo legalizar o Postal Saúde.

Trabalhadores dos Correios, anotem o nome dos que estão ajoelhados diante da ECT aceitando o Postal Saúde:

Diretores da Fentect compareceram à reunião sem autorização ou autoridade para fazê-lo e ainda assinaram o documento que foi protocolado no Ministério do Trabalho (veja ao lado).

Isto depois de a representante legal da Federação, a companheira Anaí Caproni ter enviado à ECT documento confirmando que a FENTECT não legitimaria este golpe contra os trabalhadores.

O que Amanda Corcino Presidente do Sindicato do DF; Emerson Marcelo Gomes Marinho, fura greve do Rio de Janeiro que passou a campanha salarial com liberação do trabalho; e Robson Luiz Pereira Neves fizeram é estelionato e falsidade ideológica. Por causa deles a ECT disse no Primeira Hora do dia 3 de dezembro que a FENTECT concorda com a MNNP. Eles agora terão de prestar contas dos sues atos. Os trabalhadores vão cobrar.

Outros que terão de prestar contas aos trabalhadores são os membros da corrente chamada MRL – Movimento Resistência e Luta. Esse grupo que soma dezenas de ex-sindicalistas vendidos, ou melhor, comprados pela ECT se bandeou de vez para o lado dos traidores.

Esse grupo foi eleito na direção da Fentect junto com o bloco do Movimento de Oposição ao Peleguismo que derrotou a Articulação Sindical no Congresso da categoria em 2012. Mas agora traíram aqueles que votaram neles abandonando o bloco e tomando o lado da Articulação e do líder da gangue na secretaria de finanças da Fentect, José Rivaldo Talibã.

Todos esses além de participarem do golpe da Reunião com a ECT estão se recusando a organizar a luta através da realização da Plenária Nacional do dia 12 e a greve do dia 17. Os sindicalistas do MRL junto com a Articulação Sindical e o PT nos Correios serão cobrados. Nenhuma traição vai sair impune.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s