Como os Correios estão dando o golpe no Plano de Saúde

Golpe

É preciso denunciar o conluio entre direção e da ECT e os sindicalistas pelegos do PT-PCdoB-MRL para destruir um dos maiores direitos da categoria
Banner MNNP

A direção da ECT sabe que o Convênio Médico é um dos maiores direitos da categoria. Os trabalhadores conquistaram esse direito com muita luta, em enormes greves. Por isso, sempre foi muito grande a resistência contra qualquer tentativa da empresa de mudar o plano de saúde. A direção da ECT, em diferentes períodos, tentou privatizar o convênio, mas nunca obteve sucesso.

Dessa vez, diante da enorme pressão dos capitalistas em crise, que querem aumentar seus lucros à custa do corte de direitos dos trabalhadores, a direção petista da ECT está novamente investindo contra o Correios Saúde. Mas para conseguir enfrentar a resistência da categoria está usando um golpe conhecido: a conciliação com os sindicalistas traidores.

Às escondidas, a direção da ECT criou a caixa de assistência Postal Saúde, que nada mais é do que a privatização do Correios Saúde, introduzindo um estatuto adequado aos Planos de Saúde particulares, como mensalidades, por exemplo. A mobilização dos trabalhadores nas duas últimas greves impediu que os próprios Ministros do TST aprovassem qualquer mudança no convênio médico.

Diante dessa impossibilidade, a empresa está reunindo os sindicalistas pelegos de alguns sindicatos, formando a chamada Mesa Nacional de Negociação Permanente (MNNP). Esses sindicalistas, do PT-PCdoB, que também tiveram o apoio do MRL (corrente sindical ligada também ao PT), assinaram uma ata autorizando a mudança do convênio para a Postal Saúde.

Fica claro que a MNNP não é uma negociação entre trabalhadores e empresa. Ela é simplesmente uma armadilha criada pela empresa para atrair os sindicalistas traidores e “legalizar” a mudança do Correios Saúde. O aval desses sindicalistas, que nada tem a ver com uma decisão da categoria, vai servir como documentação para a empresa justificar a Postal Saúde. Não é à toa que o Julgamento da Postal Saúde foi adiado várias vezes, desde novembro, para dar tempo para a ECT e os sindicalistas organizarem esse golpe. O novo julgamento está marcado para o dia 31 de janeiro.

Para barrar a Postal Saúde, somente uma luta contra a empresa e os sindicalistas pelegos. É preciso denunciar o golpe que está sendo colocado em marcha contra as condições de vida dos trabalhadores. A Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect), legítima representante da categoria, inclusive perante a Justiça, está organizando um ato e uma plenária nacional, para mobilizar todas as bases sindicais do País para lutar contra o confisco do plano de saúde dos trabalhadores.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s