Assembléias discutem greve contra a Postal Saúde

Paralisação por tempo indeterminado!

Pela manutenção e ampliação do Convênio Médico, não ao golpe da Postal Saúde; fim da MNNP, não ao divisionismo; não ao calote da ECT, pagamento dos passivos do PCCS 95; entrega só pela manhã!
DSCF2095

Trabalhadores dos Correios de todo o Brasil já estão em estado de greve e vão iniciar uma paralisação nacional por tempo indeterminado a partir das 22 horas do dia 29. Isso é o que será discutido nas assembleias da maioria dos sindicatos filiados à Fentect, de acordo com a deliberação da 37a Plenária Nacional. A greve nacional deve ser aprovada pela grande maioria dos sindicatos em defesa do Plano de Saúde da categoria, que está sendo privatizado pela Empresa.

A paralisação é completamente legítima, já que a Empresa está descumprindo o próprio Acórdão do TST, que impede a ECT de mexer no Convênio Médico sem o consentimento dos trabalhadores. A direção dos Correios, no entanto, simplesmente implantou a Caixa de Assistência Postal Saúde a partir do dia 1o de janeiro. A Postal Saúde modifica todas as regras do convênio médico, adequando o plano de saúde dos Correios às regras dos convênio privados. É a destruição do maior direito conquistado pela categoria.

Além da perda desse direito, que está sendo privatizado pela direção petista da ECT a mando dos banqueiros internacionais, o Correios Saúde representam um ganho de no mínimo R$ 500,00 mensais para um trabalhador com quatro dependentes. Por isso, a destruição do convênio é também um rebaixamento salarial da categoria.

Não é difícil perceber que os trabalhadores tem dezenas de motivos para realizar uma enorme greve nacional. Além da defesa do plano de saúde, a Plenária Nacional da Fentect aprovou que a greve também irá defender o pagamento dos passivos do PCCS 95, a entrega só pela manhã e o fim da MNNP (Mesa Nacional de Negociação Permanente) criada de maneira ilegal pela ECT para aprovar a Postal Saúde, por fora da Fentect, usando os sindicalistas pelegos do PCdoB/CTB e da Articulação Sindical e MRL/PT.

Por falar em sindicalistas pelegos, a greve nacional vai ocorrer apesar do boicote dos traidores que estão sentando na mesa com a empresa para atacar os direitos dos trabalhadores. Mesmo assim, vários sindicatos ligados ao PT também vão aderir à greve, rompendo com os traidores.

Os trabalhadores de todo o País precisam iniciar a mobilização para arrastar os demais companheiros que estão sufocados pela ditadura de sindicalistas patronais, como é o caso de São Paulo e Rio de Janeiro, sindicatos dominados pelos divisionistas da CTB/PCdoB. Os trabalhadores dessas duas bases sindicais combativas querem aderir à greve, por isso, os companheiros dos demais estados devem colocar o máximo de força na mobilização nacional.

Os trabalhadores dos Correios já demonstraram sua combatividade ao garantir o Plano de Saúde nas duas últimas campanha salariais. Chegou a hora de lutar e acabar de uma vez com a Postal Saúde e a privatização do Convênio Médico.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s