Direita golpista mostra a cara: ataques aos direitos trabalhistas e repressão brutal

Brasília, 7 de abril – A mando do golpista Eduardo Cunha (PMDB), polícia militar coloca em prática seu mecanismo para garantir os ataques aos trabalhadores

Na terça-feira, dia 7, cerca de 3 mil trabalhadores, sindicalistas, militantes sem-terra se reuniram em Brasília para um ato contra a PEC 4330, o Projeto de Lei da Terceirização.

O presidente da Câmara dos Deputados, o direitista e um dos principais articuladores dos golpistas Eduardo Cunha (PMDB), colocou todo o aparato de repressão para reprimir brutalmente os manifestantes presentes. A “recepção” feita por Eduardo Cunha, representante de um Congresso ainda mais direitista a partir das últimas eleições, revela qual será a política da direita golpista caso o golpe contra o PT seja bem sucedido.

A polícia da direita golpista

A mando de Eduardo Cunha, os manifestantes não puderam entrar na “Casa o povo” para assistir a votação. Um aparato enorme da Polícia Militar e da Tropa de Choque com cavalaria, cachorros, armas de choque, gás de pimenta, bombas, canhão de água estava em volta do Congresso. Os manifestantes, agrupados no gramado em frente ao espelho d’água foram impedido inclusive de se aproximar. A polícia tentou impedir o carro de som do ato de chegar próximo ao congresso e chegou a atirar com bala de verdade no carro para intimidar o motorista. Indignados, os manifestantes correram para garantir que o carro de som não fosse atacado pela polícia. A PM atacou com bombas e gás de pimenta. Vários manifestantes foram agredidos e gravemente feridos.

O companheiro Aurimar Cordeiro, conhecido com Carioca, militante do PCO, trabalhador dos Correios e diretor do Sintect-MG (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Minas Gerais) foi brutalmente agredido pela polícia.

De maneira totalmente arbitrária, a polícia imobilizou o companheiro. Uma dezena de PMs cercaram e o espancaram covardemente com cassetetes, choques elétricos, chutes e pisão na cabeça . O companheiro ficou desacordado e foi levado para dentro do Congresso, algemado.

O companheiro foi levado ao hospital sangrando muito, com cortes no rosto e na perna, vários hematomas pelo corpo, nas costas e nas costelas. O companheiro sofreu um corte profundo na mão esquerda que chegou a romper um tendão, tamanha a brutalidade com que a PM bateu com o cassetete.

O companheiro passou a noite internado no Hospital e passa bem, mas precisará fazer uma cirurgia na mão.

O retrato do que querem os golpistas

A direita nacional prepara um ataque brutal aos direitos básicos dos trabalhadores como o próprio direito de manifestação. É isso o que está por trás das manifestações pelo “impeachment” que a direita e a extrema-direita, apoiadas pela imprensa capitalista e pelos monopólios capitalistas estrangeiros estão organizando nesse dia 12 de abril. Um aprofundamento dos ataques aos direitos dos trabalhadores e um aumento da repressão contra as organizações operárias.

Ao mesmo tempo que quer passar no Congresso a lei da terceirização, que vai acabar com os direitos trabalhistas no Brasil, a direita precisa impedir que os trabalhadores se mobilizem.

Para colocar sua política dura de ataques às condições de vida dos trabalhadores, a direita precisa lançar mão da repressão e da censura. Por isso os que estão nas ruas pedindo a derrubada do governo pedem o corte de direitos, como as privatizações, e ao mesmo tempo defendem o aumento da repressão, a intervenção militar etc.

Com medo da reação dos trabalhadores, a votação da PEC 4330 foi adiada para hoje em uma manobra realizada pelo Parlamentares da direita.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s