PT prepara mais uma eleição fraudulenta para impedir a participação dos ecetistas no sindicato

Diretoria do Sintect-RPO esconde a eleição dos trabalhadores e divulga lista de exigências absurdas para a inscrição de chapa

Nessa semana terminam as inscrições para a eleição para a diretoria do Sintect-RPO (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Ribeirão Preto e região). Mais uma vez, os trabalhadores dos Correios estão assistindo a mais uma demonstração da ditadura da burocracia sindical dentro dos sindicatos.

O sindicato de Ribeirão Preto é controlado pela Articulação Sindical/PT, que sem apoio na categoria depois de inúmeras traições, quer garantir a perpetuação no sindicato através da fraude. A diretoria da Articulação furou as ultimas greves da categoria, como a greve contra a Postal Saúde no ano passado, que lutava contra a privatização do convenio médico dos trabalhadores. Esse ano, sequer convocou assembleia para debater a greve contra a privatização da empresa, aprovada no calendário nacional da categoria.

Além disso, vários diretores do sindicato receberam cargos na empresa, como foi o caso de Carlos Decourt. Apenas para citar um caso, que abandonou a presidência no atual mandato do sindicato para ocupar um cargo de cúpula na ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos).

Como sabe que nao tem nenhum apoio entre os trabalhadores, a diretoria do sindicato decidiu fazer uma eleição escondida da categoria. Em primeiro lugar, sequer divulgou a eleição para que ninguém ficasse sabendo. Mas a manipulação é bem maior. A comissão eleitoral, também dominada pela Articulação Sindical/PT, estabeleceu uma verdadeira “floresta” de exigências que o trabalhador precisa superar para participar da eleição.

Ao todo, a comissão eleitoral exige cinco documentos diferentes para cada membro da chapa que queira se inscrever. Os vinte membros precisam apresentar a Carteira de Trabalho, o documento de Identidade, o CPF e até o número do PIS. Mas isso ainda não é o pior.

A comissão eleitoral do PT inventou que para o trabalhador se inscrever ‘e necessário reconhecer firma no cartório da assinatura de cada um dos membros da chapa. Uma exigência totalmente sem cabimento nem politico nem legal.

Essas exigência servem para impedir que o trabalhador de base participe da eleição, restringindo a participação apenas aos elementos da burocracia sindical, que tem facilidades e privilégios. Um trabalhador, que precisa bater o cartão durante oito horas diárias de expediente, não tem tempo para ir ao cartório para reconhecer firma.

A corrente de oposição nacional nos Correios, Ecetistas em Luta, vai inscrever a chapa para as eleições e convoca os trabalhadores a se mobilizarem para derrotar os pelegos da diretoria do sindicato. Desde já, vamos entrar na justiça para impugnar o processo eleitoral que já começa fraudado e impede a participação democrática da categoria.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s